Barrichello e Átila vencem em Londrina

Diante de arquibancadas e camarotes tomados em Londrina, a Stock Car coroou Rubens Barrichello e Átila Abreu como grandes vencedores da décima etapa, disputada neste domingo (21) que viu Felipe Fraga sofrer sua maior derrota na temporada ao ter problemas no pit-stop das duas corridas enquanto liderava, perdendo não só a vitória como viu Daniel Serra chegar à frente e ampliar ainda mais a vantagem na tabela de pontos.

Enquanto Fraga terminou em décimo e quarto, nesta ordem, Serra chegou em quarto e segundo, saindo da Capital do Café com 270 pontos, contra 236 de Fraga, que chegara 17 pontos atrás e sai com o dobro de desvantagem: 34.

Já Rubens Barrichello agora corre por fora nessa disputa com a vitória na primeira corrida e o décimo na segunda, passando para 194 e tendo de apostar todas as suas fichas na próxima etapa, em Goiânia, para tentar manter chances matemáticas nessa disputa, uma vez que a última corrida, em Interlagos no mês de dezembro, dará 60 pontos ao vencedor. Agora em terceiro na tabela, o campeão de 2014 já venceu na capital goiana nesta temporada, na Corrida do Milhão.

“Queria agradecer ao público que veio cedo e fez um espetáculo junto com a gente. Vem sendo um ano de renascimento para mim e essa etapa foi prova disso, depois de quase não passar do Q1. Estou muito feliz com a minha segunda vitória no ano, a segunda em Londrina e com todo esse carinho que Londrina nos deu!”, destaca Barrichello.

Tanto Barrichello quanto Átila garantiram suas vitórias por conta dos pit-stops de Fraga; no caso de Rubinho, ele também contou com um pit stop ruim do parceiro de Fraga, Marcos Gomes, que escoltou o companheiro nas duas corridas, só que na prova complementar a falta de rendimento na fase inicial o forçou a abandonar, o que facilitou ainda mais a vida de Átila.

“Foi legal ver o autódromo cheio e a turma lotando nosso pódio. Não tenho o que dizer: quatro vitórias no ano e a terceira seguida. Estava engasgado com a vitória que perdi em maio e hoje a equipe deu um show nos pit stops, o que me deu condições de ganhar posições importantes sem usar o push, o que fez muita diferença na corrida 2”, explicou Átila, que foi sexto na corrida 1 e, com isso, largou em quarto na seguinte.

Corrida 1

A disputa começou do jeito que Felipe Fraga sonhou: mantendo a pole e sendo escoltado por Marcos Gomes, que dera o bote em Barrichello pelo segundo lugar, enquanto o atual líder do campeonato, Daniel Serra, mantinha o sexto lugar e perdia tempo alternando a posição com Zonta.

Foi assim até a janela de pit stops, quando tudo mudou: Gomes fez uma parada mais ou menos, enquanto Fraga teve problemas na fixação da roda traseira direita. Resultado: Fraga caiu de primeiro para décimo, Gomes de segundo para quinto e Barrichello subiu para a primeira posição, seguido de Zonta, Julio Campos e Serra.

Com a liderança nas mãos, Barrichello pisou fundo e controlou a distância para o segundo colocado, Campos, que aproveitou um erro de Zonta na última volta. No fim, o décimo lugar não foi o resultado desejado por Fraga, mas o colocou na primeira posição no grid de largada invertido da segunda prova – Gomes ainda perderia três posições ao tentar sem sucesso passar Serra e ser engolido por Thiago Camilo em seguida.

Corrida 2

A largada foi exatamente igual à da corrida 1: Fraga manteve a ponta e Gomes pulou para segundo ao passar Diego Nunes. Assim como Fraga e Gomes, Serra também fechou a volta 1 em sexto. No entanto, a segunda prova transcorreu de forma bem mais tranquila nas primeiras voltas.

Contudo, Gomes começou a perder rendimento e cair pelas tabelas, abandonando logo em seguida e permitindo que toda a turma, incluindo Átila Abreu, Thiago Camilo e Daniel Serra, que deixara Julio Campos para trás. Alheio ao campeonato, quem chamava a atenção era Valdeno Brito, o sétimo após sair de último na corrida 1.

A janela de boxes foi aberta na volta 16 com Fraga parando, novamente com problemas na roda traseira direita. Para o azar dele, a parada de Atila foi ótima, e Fraga se viu novamente perdendo a primeira posição por conta dos boxes. E, uma vez na liderança, Átila, que optou por não usar nenhum acionamento do botão de ultrapassagem na primeira corrida, saiu gastando tudo o que tinha para sustentar a primeira posição e, desta forma, a vitória.

Para piorar ainda mais a tarde de Fraga – que largou na frente nas duas provas -, Daniel Serra, que subiu para terceiro após a parada, não tomou conhecimento e passou o rival, tomando a segunda posição, com Ricardo Mauricio fazendo o mesmo e tirando o campeão de 2016 do pódio em uma manobra sensacional com direito a escapada de pista dos dois. A Fraga, restou amargar o quarto lugar, à frente de uma grata surpresa: o argentino Esteban Guerrieri, substituto de Lucas di Grassi na Hero neste fim de semana.

A próxima etapa da Stock Car acontece no dia 4 de novembro em Goiânia (GO), a última antes da decisão em Interlagos.

Resultado da Corrida 1 em Londrina:
1. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – 32 voltas em 41:31.931
2. 4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) – a 2.638
3. 10 Ricardo Zonta (Shell V-Power) – a 3.094
4. 29 Daniel Serra (Eurofarma RC) – a 3.469
5. 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 5.231
6. 51 Átila Abreu (Shell V-Power) – a 5.786
7. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) – a 7.220
8. 80 Marcos Gomes (Cimed Chevrolet Racing Team) – a 7.290
9. 70 Diego Nunes (Full Time Bassani) – a 7.728
10. 88 Felipe Fraga (Cimed Chevrolet Racing) – a 9.455
11. 5 Denis Navarro (Cavaleiro Sports) – a 10.257
12. 30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) – a 11.091
13. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) – a 12.419
14. 9 Guga Lima (Vogel Motorsport) – a 22.871
15. 44 Bruno Baptista (Hero Motorsport) – a 44.160
16. 3 Bia Figueiredo (Ipiranga Racing) – a 1 volta
17. 33 Nelsinho Piquet (Full Time Bassani) – a 1 volta
18. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) – a 1 volta
19. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 2 voltas
20. 344 Esteban Guerrieri (Hero Motorsport) – a 8 voltas
21. 0 Cacá Bueno (Cimed Chevrolet Racing) – a 8 voltas
NÃO COMPLETARAM
22. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Contuflex) – a 14 voltas
23. 90 Ricardo Maurício (Full Time Sports) – a 14 voltas
24. 12 Lucas Foresti (Cimed Chevrolet Racing Team) – a 17 voltas
25. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) – a 18 voltas
26. 24 Kelvin Van Der Linde (Blau Motorsport) – a 23 voltas
EXCLUÍDOS*
27. 8 Rafael Suzuki (Bardahl Hot Car)
28. 20 Ricardo Sperafico (Bardahl Hot Car)
29. 28 Galid Osman (Cavaleiro Sports)
MELHOR VOLTA: Rubens Barrichello, 1:11.757 (153,2 km/h)
*Excluídos por executar procedimento obrigatório de pit stop fora da janela

Resultado da Corrida 2:
1. 51 Átila Abreu (Shell V-Power) – 33 voltas em 41:52.099
2. 29 Daniel Serra (Eurofarma RC) – a 1.160
3. 90 Ricardo Maurício (Full Time Sports) – a 4.160
4. 88 Felipe Fraga (Cimed Chevrolet Racing) – a 4.522
5. 344 Esteban Guerrieri (Hero Motorsport) – a 8.455
6. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) – a 12.219
7. 0 Cacá Bueno (Cimed Chevrolet Racing) – a 14.234
8. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 15.543
9. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) – a 15.785
10. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 24.676
11. 3 Bia Figueiredo (Ipiranga Racing) – a 28.419
12. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) – a 29.075
13. 70 Diego Nunes (Full Time Bassani) – a 30.420
14. 4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) – a 31.220
15. 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 33.113
16. 44 Bruno Baptista (Hero Motorsport) – a 35.943
17. 20 Ricardo Sperafico (Bardahl Hot Car) – a 41.050
18. 9 Guga Lima (Vogel Motorsport) – a 42.417
19. 24 Kelvin Van Der Linde (Blau Motorsport) – a 5 voltas
20. 12 Lucas Foresti (Cimed Chevrolet Racing Team) – a 6 voltas
21. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Contuflex) – a 9 voltas
NÃO TERMINARAM
22. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) – a 14 voltas
23. 33 Nelson Piquet Jr (Full Time Bassani) – a 20 voltas
24. 28 Galid Osman (Cavaleiro Sports) – a 20 voltas
25. 8 Rafael Suzuki (Bardahl Hot Car) – a 23 voltas
26. 80 Marcos Gomes (Cimed Chevrolet Racing Team) – a 24 voltas
27. 30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) – a 28 voltas
28. 10 Ricardo Zonta (Shell V-Power) –  a 31 voltas
29. 5 Denis Navarro (Cavaleiro Sports) – não largou
MELHOR VOLTA: Diego Nunes, 1:11.665 (153,4 km/h)

Classificação do Campeonato:
1. Daniel Serra – 270 pontos
2. Felipe Fraga – 236
3. Rubens Barrichello – 194
4. Julio Campos – 183
5. Max Wilson – 176
6. Átila Abreu – 176
7. Marcos Gomes – 172
8. Cacá Bueno – 169
9. Ricardo Zonta – 144
10. Thiago Camilo – 127
11. Lucas di Grassi – 115
12. Gabriel Casagrande – 82
13. Cesar Ramos – 65
14. Allam Khodair – 54
15. Ricardo Maurício – 53
16. Rafael Suzuki – 52
17. Lucas Foresti – 47
18. Felipe Lapenna – 37
19. Vitor Genz – 36
20. Nelson Piquet Jr – 31
21. Diego Nunes – 28
22. Denis Navarro – 23
23. Antonio Pizzonia – 22
24. Bia Figueiredo – 19
25. Guga Lima – 16
26. Esteban Guerrieri – 13
27. Sérgio Jimenez – 10
28. Bruno Baptista – 10
29. Valdeno Brito – 10
30. Tuka Rocha – 7
31. Agustín Canapino – 5
32. Guilherme Salas – 4
33. Galid Osman – 3
34. Ricardo Sperafico – 0

Fonte: Stock Car

Fotos: Thiago Sampaio/Direto do Pódio

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

error: Conteúdo protegido contra cópia. Caso queira adquirir o conteúdo, envie um e-mail para: contato@diretodopodio.com.br