Lewis Hamilton vence na Rússia

Valtteri Bottas tem boas lembranças de Sochi, tendo conquistado sua primeira vitória no Grande Prêmio no ano passado. Mas o piloto da Mercedes foi solicitado a disputar o jogo da equipe no domingo, permitindo que Lewis Hamilton conquistasse a vitória e ampliasse sua liderança no campeonato.

Bottas, que havia conquistado uma excelente pole no sábado e estava procurando pela sua primeira vitória na temporada de 2018, foi convidado a ceder a liderança para Hamilton com menos da metade da corrida concluída. O finlandês, acabou cedendo a posição, por um resultado que não apenas garantiu que a Mercedes mantivesse seu recorde de 100% em Sochi, mas permitiu que Hamilton aumentasse a sua vantagem sobre Vettel, que chegou em terceiro, com 50 pontos.

Hamilton, foi forçado a passar Vettel para a terceira vitória em Sochi, e depois elogiou Bottas como “um verdadeiro cavalheiro”, enquanto o chefe da Mercedes, Toto Wolff, também elogiou as ações do finlandês.

Max Verstappen, celebrando seu 21º aniversário, estrelou, subindo da 19ª posição do grid ao quinto em apenas oito voltas, o que logo se tornou a liderança quando as estratégias de pneus começaram a se desenrolar.

O holandês acabou liderando o maior número de voltas de todos, mas acabou chegando em quinto, atrás da segunda Ferrari de Kimi Raikkonen, mas à frente de seu companheiro de equipe na Red Bull, Daniel Ricciardo. Como era de se esperar, Verstappen também ganhou uma homenagem a Driver of the Day com uma grande maioria.

Charles Leclerc, da Sauber, foi outro a brilhar, o futuro piloto da Ferrari terminou em sétimo à frente de Kevin Magnussen, da Haas.

Como a corrida se desenrolou…

Depois de garantir a liderança do P3 no grid no ano passado, Bottas sabia que precisava largar bem, e foi o que ele fez, com Vettel montando um ataque contra Hamilton pela 2ª posição.

Atrás deles, Verstappen estava em uma missão. O holandês começou em 19º no grid, com um hat-trick de pênaltis neste fim de semana, mas ganhou 10 posições em menos de três voltas, cortando a ordem do meio-campo com facilidade.

Mas em outras partes do estábulo da Red Bull houve desordem, já que a Toro Rosso enfrentou um começo de pesadelo. Pierre Gasly e Brendon Hartley tiveram problemas no início, e a equipe italiana logo retirou os dois carros para a garagem antes de cinco voltas, com problemas aparentes de freio nas duas máquinas.

Na 8ª volta, Verstappen lutou até ao quinto lugar, atrás dos carros da Mercedes e da Ferrari. Nesta fase, Hamilton estava no encalço do líder da corrida, Bottas, atrás de seu companheiro de equipe por 1.4s, enquanto Vettel se aproximava dos espelhos retrovisores de seu rival, 2s atrás.

As Silver Arrows foram as primeiras pioneiras a rolar os dados de um ponto de vista tático, trazendo o líder da corrida Bottas no final da Lap 12 e substituindo os pneus ultrafinos por soft. A Ferrari imediatamente rebateu a volta seguinte, chamando Vettel para a mesma troca de pneus, com Hamilton seguindo o naipe uma volta depois, uma decisão que foi contra o líder do campeonato.

Enquanto Hamilton se preparava para retornar à pista, Vettel veio voando, e o alemão conseguiu colocar o nariz na frente indo para a curva 2 para dividir com a Mercedes.

‘Pessoal, como isso aconteceu?’ Hamilton perguntou à sua tripulação desanimada, mas ele não ficaria para trás por muito tempo. Com a intenção de recuperar rapidamente a sua posição, Hamilton correu para a parte de trás de Vettel, descendo para a Curva 2 na 16ª volta quando o piloto da Ferrari fechou a porta em termos inequívocos. Os comissários investigaram o incidente, mas consideraram que nenhuma ação adicional era necessária e nesse estágio Hamilton já havia conseguido ultrapassar o alemão.

Essa batalha não foi a única a manter os fãs à beira de seus assentos, no entanto. A Force Índia, que havia implementado ordens mais rigorosas após a saga de Cingapura, estava achando difícil ficar à frente da Haas, sabendo que precisava melhorar o ritmo para não ser atacado pelo piloto da Renault, Nico Hulkenberg.

O momento decisivo da corrida aconteceu na 25ª rodada, depois que Verstappen, da Red Bull, herdou a liderança. O holandês estava se mostrando uma ameaça para as Mercedes, permitindo que Vettel ganhasse com eles. E com os pneus traseiros de Hamilton começando a estourar, foi feito a comunicação pedindo para Bottas deixar seu companheiro de equipe passar.

Bottas foi devidamente obrigado, e essa estratégia foi replicada pela Force Índia momentos depois, com Ocon dando a Perez uma chance de lutar com Magnussen. No final, o mexicano não conseguiu, e depois de nove voltas, na volta 35, o time de Silverstone voltou a dar o lugar ao francês.

Na frente, Hamilton relatou problemas com o motor e pneus, mas essas preocupações não foram significativas, cuja única preocupação foi uma meia jogada em Verstappen, faltando 11 voltas para o final, o que foi repelido pelo holandês ainda em parada.

Hamilton finalmente teve a liderança pela primeira vez em Sochi, quando Verstappen, tendo dirigido 43 voltas soberbas sobre a borracha macia, entrou em cena, o aniversariante voltou à ação em quinto à frente de Ricciardo, que ganhou uma nova asa quando fez seu primeiro e único pit stop três voltas antes de seu companheiro de equipe.

A Mercedes sabendo que a vitória de Hamilton foi crucial para a briga pelo campeonato, permitiu que o atual campeão mundial mantivesse o primeiro lugar, com Bottas, que havia perguntado se as posições seriam invertidas, forçado a ficar em segundo lugar na pista.

A próxima etapa…

Não há muito tempo para os pilotos descansarem, com o GP do Japão abrigando a 17ª rodada do campeonato da F1, já no próximo final de semana. Hamilton e Vettel tem quatro vitórias em Suzuka, então eles certamente sabem triunfar por lá. Deve ser uma excelente corrida, então…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

error: Conteúdo protegido contra cópia. Caso queira adquirir o conteúdo, envie um e-mail para: contato@diretodopodio.com.br