GP da França: Hamilton crava a sua 75ª pole na França

Na primeira sessão de qualificação no Circuito Paul Ricard por 28 anos, foi Lewis Hamilton quem saiu no topo, com o seu companheiro de equipe Valtteri Bottas em segundo, quando a Mercedes dominou em Le Castellet.

Depois de um FP3 desbotado, que testemunhou apenas 10 minutos dos carros andando na pista, a qualificação fez com que os pilotos voltassem à velocidade em um Paul Ricard muito mais seco. Embora na sessão tenha ocorrido ocasionais períodos de chuva leve, não foi o suficiente impedir Hamilton de ser o mais rápido em todas as três sessões, aproveitando ao máximo as atualizações que a Mercedes trouxe para a França para estender seu recorde de pole positions. Nada mal para um piloto que aparentemente não utilizou um simulador correndo ao redor de Paul Ricard antes do Grande Prêmio da França.

Sebastian Vettel, da Ferrari, ficou em terceiro, seguido pelos Red Bulls de Max Verstappen e Daniel Ricciardo, e a irmã Ferrari de Kimi Raikkonen em sexto. Carlos Sainz, da Renault, era P7, com Charles Leclerc, da Sauber, em oitavo, à frente dos dois carros Haas de Kevin Magnussen e Romain Grosjean.

Veja como as sessões se desenrolaram sob os céus sombrios de Le Castellet…

Q1 – CHOQUE PARA MCLAREN, AMBOS OS CARROS SAEM

Foi uma sessão para esquecer para o time da McLaren. Já sob uma nuvem após algumas trocas acaloradas com a imprensa neste fim de semana, o Q1 viu os dois pilotos não chegarem ao Q2, com o 16º tempo mais rápido de Fernando Alonso a 1.4 segundos do esforço de Verstappen, apesar de ambos os carros usarem o mesmo motor Renault. São apenas seis dias desde que Alonso estava no degrau mais alto do pódio de Le Mans, mas isso deve parecer uma eternidade atrás agora.

Atrás de Alonso no P16 veio a Toro Rosso de Brendon Hartley, a irmã McLaren de Stoffel Vandoorne e os dois carros da Williams de Sergey Sirotkin e Lance Stroll, com o canadense conseguindo rodar seu FW41 na curva 2 depois de sair da pista. No entanto, Vandoorne, Sirotkin e Stroll vão subir uma posição no dia da corrida, quando Hartley toma uma penalidade por assumir novos elementos da unidade de potência após problemas com o motor na sexta-feira.

Foi um Q1 mais feliz para a Sauber, com Leclerc e Marcus Ericsson completando a sessão pela primeira vez em 2018, enquanto Grosjean também impressionou desde cedo para ser o quarto mais rápido no Haas, já que Hamilton, Verstappen e Raikkonen conquistaram os três primeiros lugares. .

Q2 – LECLERC BRILHA E HAMILTON MAIS RÁPIDO NOVAMENTE

Os pilotos estavam fazendo fila no final do pit lane minutos antes do início do Q2. O motivo? A chuva havia retornado a Paul Ricard, embora de maneira muito leve. Apesar disso, todos os pilotos saíram com pneus secos, com quase todos conseguindo melhorar seus tempos do Q1. Leclerc foi o herói da sessão, arrastando sua Sauber para o Q3, indo para o P10, com um tempo de cerca de sete décimos mais rápido do que o companheiro de equipe Ericsson, que acabou sendo o mais lento dos corredores do P15.

A Force Índia, depois de receber o motor atualizado da Mercedes na França, ficou com Esteban Ocon na P11 e Sergio Perez P13. Foi também uma volta abaixo do esperado para Nico Hulkenberg, da Renault, que teve de assistir ao companheiro de equipe Carlos Sainz no Q3, enquanto conseguiu o 13º tempo, enquanto Pierre Gasly, que demonstrou grande ritmo na Toro Rosso durante os treinos de sexta-feira ficou de fora, terminando em P14.

Hamilton liderou o campo mais uma vez, enquanto ambos os Red Bulls, como a Mercedes optaram por uma estratégia alternativa, para a Ferrari e o resto dos dez primeiros, estabelecendo seus tempos mais rápidos nos pneus supermacios, tornando-os uma perspectiva interessante para a corrida.

Q3 – HAMILTON, CRAVA A SUA 75ª POLE

Com a chuva tendo sido eliminada, foi um desempate em linha reta para a pole enquanto os pilotos entravam em batalha para o Q3. Mas com apenas quatro minutos da sessão, Grosjean pediu muito de seu Haas na curva 3, acabou batendo e trazendo as bandeiras vermelhas, parando o relógio. Foi um final decepcionante para uma sessão que havia prometido muito para o francês, mas o dano em seu VF-18 parecia leve, pois estava fora de perigo.

Quando os nove pilotos restantes voltaram para a pista, logo ficou claro que não haveria problemas de última hora para perturbar o progresso da Mercedes. Sebastian Vettel chegou mais perto, mas um esforço final desconexo acabou em terceiro. À sua frente, Hamilton manteve a calma para derrotar o companheiro de equipe Bottas por 0,118s e conquistar a 75ª pole position de sua carreira, e no 26º circuito diferente. Em P4 e P5 vieram os Red Bulls de Verstappen e Ricciardo, enquanto Raikkonen não conseguiu terminar uma boa volta e acabou em sexto.

Sainz em sétimo teve o prazer de qualificar o companheiro de equipe de Renault Hulkenberg pela terceira vez este ano, enquanto os dois carros Haas de Magnussen e Grosjean, que não conseguiram um bom tempo foram P9 e P10.

E sim, isso significa que não só o Leclerc chegou ao Q3, como até mesmo conseguiu reduzir as tabelas de tempos ao terminar o P8 no que foi um dos grandes esforços de qualificação da temporada até agora. Um desempenho bastante surpreendente do piloto em campo que nasceu mais próximo do Circuito Paul Ricard, mas o dia pertencia a Hamilton, com o bicampeão mundial da Mercedes continuando a reescrever os livros de recordes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

error: Conteúdo protegido contra cópia. Caso queira adquirir o conteúdo, envie um e-mail para: contato@diretodopodio.com.br